São Paulo, SP | Brasil

Acompanhe a entrevista de José María Borda, vice-presidente executivo da Sisteplant Espanha

José María Borda, vice-presidente executivo de nosso parceiro, a Sisteplant Espanha, concedeu uma entrevista para o site espanhol Corresponsables.  Ele conta a trajetória da Sisteplant e a sua incessante busca pela inovação e excelência empregadas nas soluções desenvolvidas.

“Queremos desenvolver tecnologia que suporte a criação de empresas inteligentes e humanistas, que são um exemplo para a sociedade ”

Desde a sua criação há 35 anos, a Sisteplant se comprometeu em impulsionar a inovação de empresas em diferentes áreas. A empresa dedica 20% de seu faturamento e sua equipe a esse conceito. Além disso, reinveste todo o benefício na organização.

Sua missão é apoiar empresas do setor industrial e serviços na melhoria de sua competitividade, criando organizações inteligentes e humanísticas. Seu objetivo é atingir um modelo industrial altamente competitivo, não-conformista e humanista, baseado na inteligência tecnológica implantada em todos os níveis  para desenvolver processos e produtos com alto valor agregado, que permitam manter margens e trazer para a indústria tecnologias de ponta.

A Sisteplant defende a colocação das pessoas no centro da evolução das fábricas para a indústria 4.0. Numa época em que a tecnologia e a digitalização são discutidas, a Sisteplant desenvolveu o Human 4.0, um modelo pioneiro que ajuda as organizações a adaptarem e acompanharem as pessoas nesse processo de evolução em direção ao paradigma 4.0.

O Human 4.0 parte da análise e diagnóstico da situação atual de uma empresa em relação à transformação, desenha o itinerário da transformação da organização e das pessoas assistindo a redefinição de valores, políticas corporativas, estrutura organizacional, perfis e competências dos trabalhadores e líderes, funções, responsabilidades e novos modelos de relacionamento.

Valores essenciais são priorizados (compromisso, honestidade, ambição saudável, autocrítica, transparência e curiosidade), e devem estar alinhados com os dos clientes e da sociedade. Nesse cenário, as pessoas se divertem no trabalho, são movidas pela curiosidade para aumentar seus conhecimentos, são motivadas por aspirações, ao invés de objetivos convencionais e trabalham em redes e projetos, configurando a melhor equipe possível para cada propósito, eliminando departamentos e hierarquias.

Ouça o áudio no da entrevista aqui.